Aromas

Que tipos de perfumes combinam com os dias frios?

perfume de inverno

Uma pessoa cheirosa é tudo de bom! Entretanto, ao mesmo tempo, já reparou como alguns perfumes fortes podem mudar o humor, causando até dor de cabeça? É que a escolha da sua perfumaria é algo muito subjetivo e tem a ver com o clima e a hora do dia em que a fragrância será utilizada.

Questão de pele

Os perfumes são feitos com ingredientes voláteis, ou seja, que evaporam facilmente. Dessa forma, uma pessoa com a pele quente, tende a “perder” a fragrância com mais facilidade do que outra com a cútis mais amena.

Provar um perfume no período da manhã, que é mais fresco, dá uma percepção diferente de experimentá-lo no fim da tarde, por exemplo, por conta da influência da temperatura corporal no cosmético.

O tipo de pele também faz diferença. As pessoas com pele oleosa conseguem fixar a essência por mais tempo do que aquelas com a cútis seca, pois os óleos essenciais vão se misturar aos da derme e permanecer mais tempo no corpo.

O cheiro do suor também é afetado pelo que consumimos e interfere na percepção do perfume. Pessoas que comem alimentos muito condimentados costumam expelir o cheiro do tempero no suor, alterando o aroma do perfume que usam. E acredite: a combinação de alho e rosas na pele não costuma ser agradável para ninguém!

Fragrâncias de verão

Nos dias mais quentes, o ideal é optar por perfumes mais frescos e leves, com notas cítricas, por exemplo. O mesmo vale para os cosméticos usados, pois têm menos chances de causar repulsa.

Locais do corpo como pulsos, atrás da orelha e pescoço, por exemplo, são os preferidos para o uso de fragrâncias. Por serem altamente irrigadas por sangue, ajudam a fixar o cosmético por mais tempo na pele.

Aromas de inverno

Ingredientes com aroma mais forte, como especiarias e madeiras, costumam ser os preferidos para os dias mais frios e os eventos noturnos.

Como têm cheiro mais marcante, os perfumes de inverno podem ser aplicados em qualquer parte do corpo. A temperatura da pele, mais baixa, vai tornar a duração do aroma mais longa também.

Fabricação do perfume

O profissional que combina ingredientes para fabricar perfumes é chamado de perfumista. Geralmente, são pessoas com um olfato apurado. As fragrâncias levam diferentes cheiros, que podem ser classificados, basicamente, como:

 Floral: desenvolvido à base de flores cheirosas, como narciso, angélica, frésia e outras.

Cítrico: tem base em frutas como limão, tangerina.

Madeiras: possuem aromas mais masculinos, como pinheiro, almíscar, etc.

Especiarias: pimenta, baunilha, canela, cravo também são usados para compor os perfumes.

Orientais: notas marcantes, como o âmbar e o patchouli.            

O blog da marca francesa Lancôme explica ainda como são compostos os perfumes com base nas famílias olfativas acima:

Nota de saída: é a primeira coisa que a gente sente quando borrifa o cosmético, pensada para despertar uma boa impressão. Segundo o blog, geralmente, são cítricas, refrescantes e aromáticas, mas são bem voláteis e fixam pouco na pele.

Corpo: consideradas a alma e a identidade do perfume, elas compõem 40% da fórmula e são essências que evaporam mais devagar, sendo em sua maioria compostas por famílias florais e especiarias.

Fundo: são essências pouco voláteis e que ficam na pele por bastante tempo, embora demorem para ser notadas. Os perfumes contam com 40% a 50% dessas notas.

Fonte: Em Tempo

You Might Also Like