Aromas Negócios

Aromas funcionais: conquiste o cliente pelo nariz

Não há quem resista ao cheiro de pão quentinho saído do forno ou de café coado na hora. Ou, ainda, não tenha boas lembranças ao sentir o perfume da terra molhada e da grama recém-cortada. O cheiro é capaz de estimular certas áreas do cérebro que são responsáveis por criar emoções e memórias. Ao sentir uma fragrância, o olfato envia mensagens instantaneamente para o sistema límbico, a parte do cérebro onde emoções, luxúria, percepção e imaginação são sentidas, trazendo resultados imediatos.

Exemplos do uso do cheiro como Marketing:

Desta forma, também conhecido como Marketing Olfativo, o trabalho com o cheiro entra como ferramenta de comunicação para complementar as estratégias de marketing das empresas. Mas quem acredita que o cheiro é trabalhado apenas nas indústrias de alimentos e cosméticos está bem enganado. As montadoras de automóveis encomendam o “cheiro de carro novo”. Ao final do processo de montagem, o automóvel é aromatizado com uma fragrância que combina vinil, tinta, couro e borracha. Não basta o carro ter o cheiro natural de novo, esse aroma é realçado através de uma fragrância própria.

Em São Paulo, algumas redes de cinema começaram a aromatizar as salas, nos filmes românticos, com fragrâncias relacionadas ao amor e a paixão para garantir a fidelidade do público de casais pelo fato de trazerem boa rentabilidade e serem um público assíduo. Os produtos embalados a vácuo vêm enchendo as prateleiras de supermercados, porém, devido ao processo de embalagem, estes não exalam cheiro. Por isso, algumas redes de supermercado decidiram pulverizar a essência de café nas prateleiras, onde essas mercadorias são expostas. Tudo vale para chamar a atenção do consumidor.

Pesquisas comprovam aromatização aumenta 16% nas vendas:

Mas por que o cheiro é tão importante? Pesquisas revelaram que as pessoas, ao longo da vida, se recordam de apenas 1% do que apalpam, 2% do que ouvem, 5% do que veem, 15% do que degustam e 35% do que percebem pelo olfato. A memória é capaz de lembrar mais de 10.000 aromas diferentes e, no entanto, apenas reconhece 200 cores. Assim, no quesito memória, o olfato, dos 5 sentidos, é o mais eficiente para o marketing. Além disso, diversos estudos realizados em comércios, com e sem ambientação olfativa, comprovaram um aumento em média de 16% nas vendas.

Isso ocorreu porque a aromatização do ponto de vendas melhorou a qualidade do ar, trazendo um bem-estar ao consumidor. Com essa estratégia de tornar o lugar mais agradável, aumenta-se o tempo de permanência do cliente no local, incentivando o desejo de consumo. A lógica é bem simples: quanto maior a permanência do cliente na loja, maior a probabilidade de compra e quanto mais lembranças positivas ele tiver dentro desse ambiente, maior será a probabilidade de retorno.

Em um mercado tão competitivo, no qual diversos concorrentes atuam em veículos e campanhas diferentes, o marketing olfativo deixou de ser uma tendência para se tornar o diferencial, pois o cheiro de limpeza agrada a qualquer um, mas a fragrância conquista até os mais exigentes.

You Might Also Like